sábado, 12 de março de 2011

O segredo é o silêncio.

Jonas o empresário capa da revista Isto É e  colonista do Valor Econômico,  admirado por 8 entre 10 estudantes de economia da Fundação Getúlio Vargas, gerenciador de cinco grandes empresas entre as maiores do país. Onde uma empresa  ele comprou praticamente desacreditada e a tornou a Top de seu grupo. Jonas,   tinha  Weber como  motorista fiel e prestativo em 22 anos de parceria e  nunca  trataram mais do que cinco ou seis palavras ou algumas frases intensas. As vezes sobre economia, algum time de futebol que quase sempre Jonas não tinha tempo de assistir. Sobre o clima nunca comentaram. Comentar sobre o clima com um homem ocupado como  Jonas é falar sobre nada com ninguém. E  no entanto Weber sabia dos  três episódios transformadores na vida de Jonas.

O primeiro. Foi a morte de seu terceiro filho, Eduardo, viciado em drogas e que numa tarde de sábado em casa, avançou sobre o pai e a mãe  com uma arma atirando no pai que se jogou enfrente a mãe . Eduardo se matou em seguida. Weber, estava na sala e viu  a cena. E para o policia disse que não viu nada. A imprensa  soube do vicio de Eduardo, de seu suicídio mas não da tentativa de matar a mãe  atirando no pai.
A imprensa ficou sabendo que Weber por alguma razão era o único dentre todos os empregados da casa o único que estava na sala. Então o procuraram  e Weber nunca disse nada. O que causou em Jonas, além da dor que passava pelo momento uma admiração profunda pelo motorista. Por gratidão lhe deu um aumento.Um aumentos substancial. Não Weber nunca aceitaria dinheiro por gratidão.

O segundo episódio, se deu  quando Jonas teve um caso clássico com a secretário.  A mulher de  Jonas, tentou saber através de Weber se ele sabia de alguma coisa. Weber manteve o seu silêncio. Ela contratou um detetive, e mesmo Weber sabendo que detetive seguia o chefe também não disse nada. Jonas percebeu que o seguiam e perguntou se Weber sabia de alguma coisa. Weber manteve o seu silêncio,  dizendo não saber.
Jonas sabia do silêncio do motorista, e por ser fiel a ele e a sua esposa mantendo o silêncio em ambos o caso, resolveu desistir do caso com a secretária promovendo para outra filial da empresa e a Weber dera outro aumento. Um aumento bem generoso
No terceiro caso, Weber  seguiu as ordens do patrão que confiava nele e foi pegar no aeroporto um deputado e o levou até o escritório de Jonas onde acertaram inevitavelmente e comum na politica nacional, um acordo em que Jonas apoiaria o sua candidatura se ele conseguisse mover o seu partido e outros para aprovarem a lei que facilita certas construções em áreas de proteção ambiental.  De alguma forma a noticia vazou. Jonas foi envolvido em alguns processos, e  sem prova alguma foi inocentado assim como o deputado. A polícia investigou Weber e ele como sempre dizendo que nada viu, em seu silêncio ganhou outro aumento.

E assim, Weber com tantos aumentos, pagou as faculdades dos filhos comprou a sua casa, e ainda  comprou ações das empresas de Jonas. Jonas nunca soube mas  Weber ia comprando ações de suas empresas, com o faturamento delas comprava mais ações, e assim como uma ciranda financeira formou uma pequena fortuna com o passar dos anos. Weber em seu silêncio um dia talvez  vai estar ao lado de Jonas, mas sempre em seu silêncio.

Seria um pecado não amar!

A gente briga mesmo quando se gosta, e gosta de alguém de algo. Brigamos feio, tal vez brigamos leve com  certas sutilezas dizemos coisas amargas e dolorosas. Dizemos coisas declaradamente coisas amargas e dolorosas. Ou ignoramos. E quando se briga, não brigamos com a pessoa amada, brigamos com nós mesmo. Porque fica registrado em algum lugar dentro de nós, os tapas que damos, os xingos, o desprezo e  também ficam marcados os tapas que levamos, os xingos e o desprezo. Mas nos levantamos e recuperamos. O tempo passa, e quando vemos a pessoa amada, seja a sua mulher ou seu marido, o filho ou irmão, o amigo, o parente o colega de trabalho, o cão..  

Então sabemos que não nos cabe não gostar da pessoa, nossa alma depois que conheceu aquela alma não consegue se livrar. Podemos inventar ódios mortais, magoas cancerígenas, desprezo que alimentam nosso ego, tudo para fugir do sentimento de amar, de gostar, de estar ao lado das pessoas que gostamos. E quando por um simples sorriso, um mero tapinhas nas costas um carinho dado a pessoa amada ou dela recebemos! Ai temos a certeza de que seria um pecado não amar aquela pessoa.

Seria uma falha não ligar para ela, porque se pensarmos com sinceridade , tudo no universo parece ter sido feito para aquele momento e com a mais legitima força vinda  de dentro de nós temos que achar essa capacidade para celebrar a vida ao lado daquele que gostamos. Viver, e perceber  que seria um pecado contra o nosso próprio amor não amar. Porque o que somos sem o gostar, nascemos gostando, morreremos sofrendo porque gostamos. Gostaremos até mesmo depois da morte, e algo que ainda iremos entender que está além da vida e da morte .