sábado, 7 de maio de 2011

Rompendo com o desejo.

Não é fácil conviver com um desejo que te atormente dia e noite. E esse desejo pode se te magoar, ferir e até mesmo tirar as suas esperanças. Não, não estou sendo dramático é uma circunstância da vida em que todos nós iremos experimentar . Seja o desejo por um carro, por uma casa, por uma cargo. O desejo de perder aqueles malditos quilos. O desejo de ter a pessoa que se ama e ele não nos ama. Enfia há desejos para todos. E como lidar quando esse desejo está caminhando para uma obsessão doentia e que pode vir a  causar uma catástrofe em sua vida? 
Eu passei por essa experiência recentemente. E  sós conseguir superar quando impôs em minha vida outros desejos. Não é fácil volto a repetir, é uma luta com o seu eu. Porque o seu eu quer deseja aquela pessoa, quer aquela pessoa e não tem olhos para qualquer outra pessoa. E por isso se sofre dores de solidão e ausência do corpo que você quer, deseja. 
A seguir contarei a minha experiência com o desejo que não pude ter.

Desejos.

Todos nós temos desejos. Desejos de ser reconhecidos; reconhecidos pelos pais, pelos amigos e professores; reconhecidos pelo trabalho e pelo talento. Temos desejos de ter; ter a melhor nota e a melhor roupa o melhor carro e a melhor casa, o melhor emprego e uma vida melhor. Até ai podemos administra tudo. Mas quando desejos uma pessoa, o seu amor, o seu corpo. Ai esse desejo entra por caminhos mais tortuosos e perigosos.
 
E que as vezes não estamos preparados para lidar e a dor é inevitável. Mas também uma dor que nos revela a alma, alimenta a alma e pro louco e doido que possa parecer também nos faz crescer e ser mais forte do que nunca antes imaginamos ser. É verdade que podemos perder a cabeça, podemos até pirar ou  ficar louco. Mas se sobrevivermos a  tudo isso, ai  então saberemos lidar com nossos desejos e principalmente com o desejo pelo outro.
 
Mas enfim como disse um dia o Grande Fernando Pessoa.
" Tudo vale a pena quando a alma não é pequena"