domingo, 17 de julho de 2011

Novamente o outro?

Novamente esse ser que nos incomoda e ao mesmo tempo nos encanta e para o bem ou mal, é indispensável

Sim estou falando do outro novamente. O assunto recorrente. E estou falando desse outro que está ao nosso lado a noite quando voltamos para a casa, quando acordamos, quando nos irritamos e quanto precisamos de carinho, colo e compreensão. De esse outro que é o amor de nossa vida. O amigo que sempre pedimos ou o nosso desafeto, o mala que queremos evitar. Não tem jeito sempre tem um outro em nossa vida. Não é tão fácil esse outro, e para a grande maioria das pessoas indispensável. Há nessa santa vida alguém que não tenha  um outro em sua vida?

Mas porque o outro, sempre o outro. Por que o outro antes de tudo é a nossa maior conquista. E queremos acreditar ser essa conquista totalmente do bem. Podemos mudar de emprego, mudar de cabelo, mudar de sexo, mas mudar de parceiro é sempre algo complicado, doloroso e estamos sempre levando esse outro conosco, seja aquela canção em que nos faz lembrar momentos sublimes, seja por momentos de dor. 

É inacreditável  a quantidade de pessoa que sofre por outra pessoa! E mesmo aqueles que   dizem não estar nem ai para o outro, sempre há um maldito pensamento, mesmo que pequeno uma lembrancinha que nos faz lembrar do outro. Tocamos a vida é claro, criamos filhos, matamos e construímos sonhos, novos desejos e outros velhos sentimentos que se tornam novos sentimentos com um outro novo que buscamos nessa nossa vida.

Não tem jeito, sempre estamos em busco do outro, atrás do outro, vivendo pelo outro. As vezes somos o outro para outro. E mesmo aquele que não quer saber do outro, na verdade esta é fugindo do outro.  Tenho esperança que um dia entenderemos porque o outro é tão indispensável em nossa vida. Alguém ai tem essa resposta?